Um Ponto De Fuga

sábado, junho 04, 2005

Criatividade, Duração e Paroxismo

Estudos recentes, designadamente do Sec: XX enfatizam uma questão que para mim era desconhecida, os picos criativos dos figuras proeminentes da Humanidade, foram dramaticamente reduzidos neste último século, é que além de começarem mais tarde, a sua duração também decresceu em comparação com séculos anteriores, fatores como a etapa educativa mais prolongada, atrasam a despontar da criatividade, e note-se que começar mais tarde não é sinónimo de acabar mais tarde.
É caso para dizer, escolarização em massa é "acumular sem fome de conhecimento", por si só não é determinante para fatores capitais como inovação, já que o capital humano produzido pelas universidades tem algo que escapa a escolarização, a criatividade.

We see that the peak ability to produce great achievements in knowledge came around age 30 in 1900 but shifted to nearly age 40 by the end of the century. An interesting aspect of this graph is the suggestion that total lifetime innovation potential has declined. Other things equal, if individuals delay the start of their innovative careers without increasing their productivity at older ages, then their life-cycle output will fall. . . .
Great minds produce their greatest insights at substantially older ages today than they did a century ago. This upward age trend is not due simply to an aging population, but comes from a substantial decline in the innovative output of younger innovators. Meanwhile, there is no compensatory expansion of innovative output at later ages. Innovators are the engines of technological change and, other things equal, the less time an innovator spends successfully innovating, the less her lifetime output. The estimates point to a 30% decline in life-cycle innovation potential over the 20th Century.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home