Um Ponto De Fuga

domingo, abril 24, 2005

Arrependimento Imoral

Nunca compreendi certas pessoas, que a custa de existência de palavras como perdoar e desculpar, se sentem legitimadas, a praticar atos condenáveis, insancionáveis, devido ao facto das referidas palavras, conferirem a possibilidade de se expiar!

O perdão é Católico, a desculpa uma pró-forma da sociedade, do seu real valor pouco mais se poderá dizer. As merdas evitam-se, as palavras não redimem!

Freud, enfatiza a questão com o seguinte texto:

Arrependimento Imoral
O homem a quem o arrependimento, após o pecado, impõe grandes exigências morais, expõe-se à acusação de ter tornado a sua tarefa demasiado fácil. Não praticou o que é essencial na moral, a renúncia; com efeito, o comportamento moral ao longo da vida é exigido em função dos interesses práticos da humanidade. O homem citado recorda-nos os bárbaros das grandes ondas migradoras, que matavam e depois faziam penitência, e para os quais fazer penitência acabou por se tornar uma técnica facilitadora do assassínio.
Sigmund Freud, As Palavras de Freud

1 Comments:

Blogger negrodefinição disse...

Se vai se arrepender, não Freud!

2/1/10 18:43  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home